Chapecó e Região Convention & Visitor Bureau

Notícias

01/Jan

As Tendências das mudanças na Indústria da Hospitalidade Corporativa (de 2.0 Para 3.0)

A indústria da hospitalidade vem passando por enormes mudanças e interrupções nas últimas duas décadas. Neste ambiente, os participantes da indústria estão tentando entender de onde estamos vindo e especialmente para onde a indústria está indo. Compartilho os resultados de um estudo realizado este ano para discernir as tendências que reformularam a indústria da hospitalidade nos últimos 20 anos, bem como sua visão sobre a evolução / revolução que esta indústria provavelmente experimentará no futuro.

1) Comunidade virtual: As redes sociais e, em particular, o TripAdvisor tiveram um impacto profundo nos clientes. Isso levou a mais transparência e, em geral, a uma melhoria na qualidade dos serviços prestados pelas empresas de hospitalidade.

2) Economia colaborativa: O Airbnb representa uma grande perturbação na indústria hoteleira. O cenário competitivo é mais difícil do que nunca. Este último é reforçado pelo fato de que as propriedades de hospedagem listadas no Airbnb não precisam necessariamente cumprir as mesmas regras e regulamentos que os hotéis tradicionais.

3) Agentes de viagens on-line (OTAs): Eles tiveram pelo menos três grandes impactos no setor de hospitalidade. Primeiro, eles alteraram os canais de distribuição e consequentemente tiraram valor dos hoteleiros. Em segundo lugar, a notoriedade das marcas de propriedade da Booking Holdings e da Expedia é tal que essas empresas quase substituíram as marcas de hotéis. Terceiro, eles construíram relações sólidas com os viajantes. Agora, os hoteleiros precisam pagar para ter acesso a esses clientes, o que leva a uma margem de lucro menor para os primeiros.

4) Digitalização: Os aplicativos, em particular, são cada vez mais importantes na forma como os hoteleiros gerenciam os serviços que fornecem aos seus clientes. Este último pode agora controlar muitos aspectos do ciclo e da experiência do hóspede.

5) O “boom” do turismo global: As cias. Aéreas de baixo custo permitem que mais pessoas viajem pelo mundo a um preço razoável. Além disso, vários mercados emergentes viram seu PIB aumentar em ritmo acelerado, permitindo assim que seus cidadãos viajassem pelo mundo. Os clientes da Coreia do Sul, China, Índia e outros, constituem agora um grande grupo de potenciais viajantes. Sua demanda, é claro, tem um grande impacto na oferta.

6) Economia de experiência: Os clientes exigem personalização extrema, experiências únicas e assim por diante, podendo sinalizar com a redução dos agentes de viagens e à ascensão do viajante independente”.

7) Práticas de gerenciamento de ativos: a abordagem de ativos leves tornou-se o modelo predominante na indústria. A separação entre o gerenciamento de operações e os ativos imobiliários permite que as empresas de hospitalidade se concentrem no negócio principal e, assim, sejam mais eficientes. Isso, no entanto, induz complexidade adicional e possíveis problemas de agência. Isso explica o surgimento e progressão de gestores de ativos.

8) Profissionalização: Como dito acima, novos perfis de emprego surgiram seguindo a crescente complexidade da indústria da hospitalidade. Paralelamente, a necessidade de competências quantitativas (para previsão, orçamentação, etc.) também aumentou.

9) Gerações Y e Z: Essas novas gerações têm requisitos e necessidades diferentes das gerações mais antigas. Gerações mais conservadoras ainda pensam em hotéis e aluguel de carros. As gerações mais jovens pensam no Airbnb e no Uber”.

10) Sustentabilidade: As pessoas estão se tornando cada vez mais sensíveis às questões ecológicas e sociais. Isto deve ser considerado no “branding”, mas com o devido cuidado, porque os hóspedes e os consumidores agora estão bem cientes de que, também, existe uma fachada que eles não vão comprar”.

Conclusão…

Eis um exemplo de como se tornou dinâmico e incerto o ambiente no qual a indústria da hospitalidade opera. Existe uma convergência, quanto ao futuro do setor, em que todos concordam que precisam evoluir e se reinventar para explorar as oportunidades e enfrentar os desafios que enfrentam. A única questão que resta é até que ponto esta transformação terá que ocorrer.

Por

Fonte: www.mercadoeeventos.com.br



Outras Notícias

22
Fev
Turismo segmentado e com foco nas regiões de SC são prioridades da presidente da Santur
A Santur vai absorver as atribuições relacionadas ao turismo que antes eram da SOLA nova presidente da Santur S.A., Flavia Didomenico, tomou posse na tarde... Leia Mais
14
Fev
Comitê debate estratégias de turismo termal no Oeste Catarinense
Chapecó, 14/02/2019A Administração Municipal por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo realizou esta semana o encontro do Comitê Gestor... Leia Mais
14
Fev
Prefeitura de Chapecó lança o Programa Lixo Zero
Chapecó, 13 de fevereiro de 2019 - quarta-feira – A Administração Municipal de Chapecó reuniu a sociedade na manhã desta terça-feira (12/02), no Centro... Leia Mais
06
Fev
Observatório vai acompanhar ações de integração do turismo de SC
Responsável por 12,5% do PIB de Santa Catarina e pela geração de 122 mil empregos, o setor de turismo ganhou uma nova ferramenta de promoção e desenvolvimento.... Leia Mais

Nossos Parceiros