Chapecó e Região Convention & Visitor Bureau

Notícias

01/Jan

Confira 9 tendências para as viagens corporativas em 2019

O ano acabou de começar e o segmento de viagens corporativas já deve ficar atento às novidades e tendências que ele reserva. As inovações continuarão a crescer em ritmo acelerado, impulsionadas por tecnologias mais inteligentes, enquanto as empresas devem abrir mais os olhos para questões como a segurança de suas viajantes mulheres, por exemplo.

Confira a seguir nove tendências que guiarão o segmento ao longo deste ano, segundo especialistas da SAP Concur:


1- Políticas voltadas à segurança das viajantes mulheres

Os riscos que as viajantes do sexo feminino enfrentam subirão ao topo da agenda corporativa, e não à toa: as mulheres representam mais de 40% de todos os viajantes de negócios e esse número está crescendo.

É fato que as mulheres enfrentam riscos únicos enquanto viajam a trabalho, em comparação com seus pares do sexo masculino, mas o que as empresas farão a respeito? Um relatório recente da GBTA descobriu que apenas 18% das políticas corporativas de segurança de viagens abordam especificamente as necessidades femininas.

Como as ameaças de segurança afetam o bem-estar e a produtividade das mulheres, está na hora de as corporações providenciarem que suas políticas abordem de forma mais séria preocupações femininas prioritárias, como assédio sexual, assalto e roubo. Ao mesmo tempo, as mulheres tomarão a iniciativa de exigir que as empresas cuidem delas e isso se tornará uma consideração importante para a retenção de talentos.

2- Atenção à segurança de dados

Em 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (GDPR) mudou fundamentalmente o modo como as empresas globais de tecnologia trabalham com os dados dos usuários. Neste ano e além dele, a GDPR se tornará uma grande aposta, já que os engenheiros e desenvolvedores de produtos tecnológicos estão observando como podem oferecer proteção máxima e personalização definitiva.

Conceitos como limpeza de dados e uma discagem de privacidade podem permitir que os usuários e/ou suas empresas aumentem ou diminuam o tipo de informação reunida, filtrando diferentes níveis de informações pessoalmente identificáveis.

3- Mudança nas políticas de imigração e impostos

Este ano haverá um foco crescente nos viajantes corporativos como fonte de receita tributária, o que cria novos desafios para as empresas que enviam funcionários para realizar negócios em fronteiras estaduais e/ou internacionais. Os governos nacionais e locais continuam a adotar regras fiscais complexas para vistos de trabalhadores e transfronteiriços.

Um funcionário que gasta um certo número de dias em um ano civil em outro país ou estado pode desencadear grandes responsabilidades, tanto para o indivíduo quanto para a empresa e potencialmente impedir que os negócios sejam conduzidos.

Além disso, localidades dos Estados Unidos, como Nova York e Califórnia, estão realizando cada vez mais auditorias para identificar viajantes de negócios que cruzaram limites que os tornam responsáveis por impostos de renda.

As empresas também podem enfrentar imensos passivos financeiros - às vezes, dezenas de milhões - por violarem regras de vistos, e este ano haverá uma necessidade maior do que nunca de as empresas navegarem nessas complexidades e garantirem que elas e seus funcionários permaneçam em conformidade.

4- PMEs com vantagem competitiva

No ano passado, vimos a tecnologia ajudar a nivelar o campo de atuação para as pequenas e médias empresas, permitindo que elas sejam mais poderosas do que nunca. Em 2019, as PMEs continuarão a avançar graças à inteligência artificial e ao machine learning. Devido ao seu tamanho e flexibilidade, elas usarão essas tecnologias para ganhar vantagem competitiva sobre as grandes corporações.

Dessa forma, crescerão ainda mais ao coletarem insights de dados de crowdsourcing que antes não estavam disponíveis. As pequenas e médias empresas também se tornarão cada vez mais diversificadas e veremos um aumento na participação de mulheres, minorias e millennials nessas empresas.

5. Mais agilidade nas reservas

De acordo com pesquisa realizada pela Phocuswright, quase 50% dos viajantes corporativos levam entre 30 minutos e uma hora fora do dia de trabalho para fazerem suas reservas, enquanto 18% gastam entre uma e duas horas. É esperado que, neste ano, a tecnologia - como bots e machine learning - melhore tremendamente a produtividade dos funcionários. E isso não vale apenas para viajantes, como também para todos os envolvidos no processo (gestores e organizadores de viagens e agentes de viagens).

Alguns exemplos das melhorias tecnológicas previstas incluem: pesquisas antecipadas baseadas em informações de calendário e classificação automática de despesas comerciais versus de lazer para viagens, envolvendo ambos os componentes (viagens bleisure agora constituem 10% de todas as viagens de negócios).

6- Mudanças nas OBTs

Nos últimos 40 anos, as viagens corporativas aderiram aos programas de reserva administrados pelas TMCs, dependendo de poucos ou de apenas um GDS. Mas à medida que as ferramentas, opções e tecnologias de viagem continuam a evoluir rapidamente para os viajantes a lazer, espera-se cada vez mais que as ferramentas de viagens corporativas façam o mesmo.

Neste ano, as OBTs irão adotar novas fontes de conteúdo para impulsionar sua adoção, além de evoluírem fundamentalmente em suas plataformas para permitir que os gestores de viagens capturem todas as reservas, independentemente de onde elas ocorram, gerenciando a conformidade e garantindo que seus viajantes estejam seguros.

7- Machine learning cada vez mais popular

Os ganhos proporcionados pelo aumento do poder de processamento de informações e pelo maior acesso a ferramentas de aprendizado de máquina (machine learning) pelos desenvolvedores se estenderão muito além da automação para incluir insights orientados a dados exclusivos, maior conformidade e melhores experiências do usuário.

Na gestão de gastos, as tecnologias que leem dicas manuscritas sobre recibos serão substituídas pelo reconhecimento ótico de caracteres, que permite às empresas analisarem e auditarem os gastos em escala e velocidade sem precedentes. Com a capacidade de identificar padrões e anomalias em milhões de registros de dados quase em tempo real, as empresas obtêm a percepção e a agilidade de que precisam ao aprimorar processos de negócios, reduzindo custos ou evitando fraudes.

8- Competitividade na distribuição do conteúdo hoteleiro

Historicamente, os gestores de viagens, as OBTs e TMCs lutam há muito tempo para consolidar um conteúdo de hotel atraente que manterá os viajantes nos canais estipulados. Em 2019, os esforços das TMCs começarão a ganhar força, pois os usuários do RoomIT da CWT e do TripSource da BCD lutam com agregadores de conteúdo de terceiros, como a HRS e o Booking.com.

Enquanto os esforços da TMC são transparentes e imparciais, todos (exceto os fornecedores de hotéis) ganham. Os gestores de viagens devem ver uma meio adesão aos canais estipulados, as TMCs se beneficiarão das melhores receitas dos fornecedores e as OBTs gerarão mais reservas. Os fornecedores de hotéis, infelizmente, verão seus custos de distribuição aumentarem.

9. Sistemas de TI mais modernos

Nos Estados Unidos, os governos estaduais e locais deram passos claros para modernizar seus sistemas de TI e superar desafios comuns, gerar mais eficiência e economia de custos e atender às demandas do século 21. Na verdade, o relatório anual do Govtech Navigator mostra um aumento constante nos gastos de TI entre governos estaduais e locais, atingindo US$ 103 bilhões em 2018.

Apesar desse compromisso com investimentos, muitos governos estaduais e locais ainda operam fluxos críticos de trabalho usando processos manuais - muitos deles desatualizados, dispendiosos e propensos a erros, para não mencionar menos seguros. Os riscos associados a esses sistemas são grandes demais para serem ignorados.

Com os dólares dos contribuintes - e os dados - em jogo, cidades e municípios precisarão trabalhar de forma coesa com diretores de empresas para maximizarem seus orçamentos de TI neste ano ano. Concentrar-se em fazer investimentos maiores para suportar seus projetos de tecnologia automatizada - desde a adoção da nuvem até a implementação de soluções de IA e aprendizado de máquina - será fundamental.



Fonte: https://www.panrotas.com.br/



Outras Notícias

22
Fev
Turismo segmentado e com foco nas regiões de SC são prioridades da presidente da Santur
A Santur vai absorver as atribuições relacionadas ao turismo que antes eram da SOLA nova presidente da Santur S.A., Flavia Didomenico, tomou posse na tarde... Leia Mais
14
Fev
Comitê debate estratégias de turismo termal no Oeste Catarinense
Chapecó, 14/02/2019A Administração Municipal por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo realizou esta semana o encontro do Comitê Gestor... Leia Mais
14
Fev
Prefeitura de Chapecó lança o Programa Lixo Zero
Chapecó, 13 de fevereiro de 2019 - quarta-feira – A Administração Municipal de Chapecó reuniu a sociedade na manhã desta terça-feira (12/02), no Centro... Leia Mais
06
Fev
Observatório vai acompanhar ações de integração do turismo de SC
Responsável por 12,5% do PIB de Santa Catarina e pela geração de 122 mil empregos, o setor de turismo ganhou uma nova ferramenta de promoção e desenvolvimento.... Leia Mais

Nossos Parceiros